• Português
  • English

“Os voluntários não são pagos no Andanças!?”

A cada publicação sobre o Festival Andanças, chega-nos a mesma pergunta: “já pagam aos artistas?”.

Consideramos que todas as perguntas merecem resposta e a uma pergunta antiga, a PédeXumbo devolve a resposta antiga: Não, os artistas que atuam no Andanças, tal como os enfermeiros, médicos, ambientalistas, engenheiros, professores, monitores, entre outros, não recebem remuneração. São coletivos de centenas de pessoas que se juntam, ao longo de vários anos, para dar vida a um dos pilares mais importantes do festival: o Voluntariado.

 

Falamos de pessoas que acreditam e contribuem para um festival independente de poderes políticos, comerciais, e financeiros, sem marcas. Pertencem a algo maior, uma estrutura onde todos se sentem motivados com o desejo de contribuírem para um bem comum. Os voluntários acreditam nesta experiência que é o Andanças. Acreditam num modelo diferente de trabalho para o desenvolvimento de um projeto em conjunto. Os voluntários não são remunerados pelo seu trabalho, mas compensados de forma justa e criativa. Este é o espírito do festival!

 

Quando os(as) interessados(as) se inscrevem para integrar as equipas ou a programação do Andanças com os seus projetos artísticos, propõem-se como voluntários através de uma plataforma online e têm acesso, de forma clara, às contrapartidas dadas pelo festival. Ao fazer parte da programação do Andanças os artistas têm direito a acesso livre ao festival, independentemente do número de atuações; a um convite (passe geral) por elemento do projeto; a refeições na cantina do festival e a senhas para bebidas/tokens no valor de €3/dia consoante o número de atuações; ao pagamento das despesas de deslocação; a alojamento; a seguro de acidentes pessoais; a seguro de danos materiais para os instrumentos confinados no espaço do festival, durante todo o evento; à guarda de instrumentos, durante todo o festival; à possibilidade de venda de edições e merchandising no recinto, em regime de consignação, revertendo inteiramente a favor do projeto; à possibilidade de integração de um tema no CD Andanças; à divulgação de cada projeto no website eredes sociais do Andanças, que contam com 49 mil seguidores.

 

Ao comprarem um bilhete para o festival, os(as) participantes sabem que estão a permitir que o Andanças continue a ser um espaço livre de marcas, publicidade e merchandising; estão a apoiar a construção de todas as infraestruturas; a apoiar a economia local através do abastecimento da Cantina Andanças com produtos locais (quilómetro zero), preferencialmente de pequenos produtores; a apoiar a existência de uma Cantina Andanças que garante uma refeição completa, de qualidade, a um preço justo; a assegurar contrapartidas para os artistas que preenchem a programação do Andanças; a apoiar o desenvolvimento e germinação de boas práticas ambientais e sociais; a apoiar a memória folclórica local; a apoiar a execução de todas as tarefas essenciais para o desenvolvimento de um festival que é auto-gestionado e em grande escala, garantindo o bem-estar dos(as) participantes e visando também o respeito e proteção ao meio ambiente durante todas as etapas do evento.

 

Sendo a PédeXumbo uma associação sem fins lucrativos, o festival não gera lucros. Havendo excedentes – o que nem sempre acontece, como pode ser visto nos nossos relatórios de contas que são públicos -, estes são aplicados nas melhorias das condições do festival, na contratação de serviços locais em detrimento da escolha de grandes empresas, nas demais atividades que fazemos ao longo do ano e que são muitas vezes de acesso gratuito para o nosso público ou a preços baixos, atividades essas que procuram ainda abranger novos públicos.

 

O Andanças tem assim permitido que a PédeXumbo crie e mantenha projetos, como a Bolsa de Instrumentos, um dos projetos mais antigos da associação, que empresta 22 instrumentos tradicionais, gratuitamente, durante 9 meses, a quem se candidate para os experimentar, para além das inúmeras atividades de acesso gratuito, dos projetos de descentralização da cultura e das edições que fomentam a recolha do universo artístico tradicional português e sua manutenção no contemporâneo. A atividade da PédeXumbo não se esgota no Andanças. A associação considera que o trabalho artístico (e não artístico) deve ser remunerado, tendo em conta a inclusão dos artistas programados no Festival Andanças nos programas dos outros festivais e atividades que promove ao longo do ano e que, baseadas noutro modelo e/ou filosofia, lhes oferecem remuneração monetária.

 

Bem sabemos que na nossa sociedade, este continua a ser um modelo que gera polémica e controvérsias, pois baseia-se noutro tipo de trocas para o desenvolvimento de um evento. Ao longo dos anos, a PédeXumbo tem dado acesso público à forma como se gere financeiramente esta e outras das suas atividades e convida todos e todas, anualmente, a tornarem-se sócios da associação e a participarem nas assembleias, onde se abre espaço à discussão para encontrar os modelos dos eventos que desenvolve, como é o caso do Festival Andanças.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

CONCEITO

“No Andanças encontramos a nossa família, nos amigos que lá fazemos, na família que nos leva e que lá redescobrimos. Família como um todo, intemporal. Família abraço, que encontramos entre danças, sorrisos e alegrias.”

O Andanças é um festival que promove a música e a dança popular enquanto meios privilegiados de aprendizagem e intercâmbio entre gerações, saberes e culturas. O Andanças reaviva hábitos sociais de viver a música retomando a prática do baile popular através de múltiplas abordagens às danças de raiz tradicional, portuguesas e do mundo, com vista à recuperação das tradições musicais e coreográficas, fundindo-as com elementos contemporâneos.

 

No Andanças é possível aprender mais de meia centena de estilos de dança diferentes, desde as danças portuguesas, africanas, danças ao estilo americano, às diversas danças europeias: húngaras, balcânicas, bascas, ciganas, bálticas, belgas, do Poitou, italianas, galegas, catalãs, mediterrânicas, entre outras. Para além de alimentar a curiosidade pela diversidade, o Andanças procura ainda lembrar que a música popular (também) é sinónimo de identidade e muitas vezes da sua sobrevivência.

 

Desde 1996 que o Andanças reúne anualmente pessoas de todo o mundo, num espírito de partilha, encontro e práticas sustentáveis, constituindo uma alternativa aos outros festivais de Verão. É um espaço onde se dança, se faz música, se experimenta, mas também onde se partilham e se cruzam propostas e ideias para um mundo melhor.

Os 4 pilares

 

Dança e Música

queremos continuar a recuperar a vivência das danças sociais como forma festiva de coesão social, aprendendo uns com os outros, acordando a tradição e recriando-a, no Andanças que ganhou vida própria, e que contagia.

 
Voluntariado

queremos manter o Andanças independente de poderes políticos, comerciais, e financeiros; onde todos se sintam motivados a contribuir para um bem comum, não remunerados pelo seu trabalho, mas compensados de forma justa e criativa, sejam indivíduos, empresas, ou instituições públicas.

 

Comunidade

queremos continuar a construir comunidade Andanças, com as populações, parceiros, e cidadãos, e a fazer parte de um novo desenvolvimento local.

 

Ambiente / Sustentabilidade

queremos continuar a manter uma estética e uma ética próprias, e a criar um espaço livre de poluições, onde se experimentam e disseminam boas práticas sociais, económicas, e ambientais.

Partilhar
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
©2022 Copyright, todos os direitos reservados por PédeXumbo
Scroll to top