• Português
  • English

O Andanças tem nova casa no Campinho, junto às águas de Alqueva

Este ano, o Andanças chegou ao Alentejo Central e encontrou uma nova casa no Campinho, uma das bonitas aldeias ribeirinhas da albufeira de Alqueva, o maior lago artificial da Europa.  

 

Esta freguesia, conhecida por Campo e Campinho, traz já no nome a metáfora que a liga a natureza circundante e situa-se no município de Reguengos de Monsaraz. É constituída pela sede de concelho, São Marcos do Campo, Campinho e pela aldeia de Cumeada e tem limite geográfico com o concelho de Portel. Por Campo entendemos já, sem ver, a fisionomia territorial que a define; a aldeia da Cumeada fica num cume que lhe dá nome; e Campinho, a nova casa do Andanças, integra a natureza do lugar – a bela planície alentejana dos sobreiros e azinheiras – com um caminho de 3 km que o liga às calmas e idílicas águas de Alqueva (Parque de Merendas do Campinho). Junto ao ancoradouro realizam-se várias atividades aeronáuticas e náuticas e para os amantes da Natureza, o Campinho é um belo local para fazer caminhadas. 

O «Mar do Interior»

 

As àguas de Alqueva estendem-se num imenso espelho no meio da planície alentejana, com inúmeras ilhas e pedaços de terra a desenhar uma paisagem única que parece quase encenada. O maior lago artificial da Europa, também conhecido como o “Mar do Interior”, tem origem no rio Guadiana e vem inundar uma área outrora seca e sedenta de água, tal como o nome indica: Alqueva deriva da palavra “alqueive”, “terra de pousio” ou “deserta”.

 

Para além da produção de energia elétrica, estas águas servem assim um sistema de regadio para toda a zona alentejana, desenvolvem a agricultura, criam postos de trabalho e evitam o abandono das terras.Estas águas são vida para o território e possibilitam ainda um sem número de outras atividades das quais os “andantes” vão poder disfrutar, como passeios pedestres, passeios a cavalo, passeios de barco no Alqueva, passeios de bicicleta, passar uma noite no meio do lago nos Barcos Casa, praticar desportos náuticos, dar mergulhos nas praias fluviais, conhecer a fauna e a flora local, observar o céu de Alqueva no Observatório Oficial Dark Sky e aproveitar para relaxar e descansar numa das paisagens e regiões mais tranquilizantes de Portugal.

 

A barragem chega a cinco concelhos alentejanos – Portel, Moura, Reguengos de Monsaraz, Mourão e Alandroal – e aos municípios espanhóis raianos de Olivença, Cheles, Alconchel e Villanueva del Fresno, banhando diversas vilas e aldeias que são tocadas pela beleza e brisa de Alqueva.

 

+ Info www.roteirodoalqueva.com

Um olhar sob a região que casa a planície alentejana com um espelho de água

Reguengos de Monsaraz é a sede do concelho que dá casa ao Andanças!  É uma cidade alentejana, tradicionalmente agrícola, situada entre os concelhos de Mourão, Évora, Alandroal, Redondo e Portel.

 

Reguengos é famosa pelo seu artesanato, reconhecido a nível nacional, sendo exemplo disso a olaria de São Pedro do Corval – o primeiro centro oleiro do País -, pelas bonitas mantas de Reguengos, pelos vinhos e pelo grande espólio megalítico da região que a envolve. A juntar a estas atrações está a sua história intimamente ligada à de Monsaraz, antiga aldeia sede de concelho que é uma das mais belas e conhecidas localidades alentejanas, e a sua proximidade com a a albufeira da Barragem de Alqueva. Tudo isto faz da cidade de Reguengos de Monsaraz um dos pontos mais turísticos do Alentejo, que fica ainda marcado pela visita à Igreja Matriz – construída em honra de Santo António em 1887 -, à Herdade do Esporão, ao Parque da Cidade e ao centro da mesma.

Quando chegamos à bela vila de Monsaraz temos a sensação de ter regressado à era medieval. As suas ruas de xisto, as suas casas baixinhas de cal, a muralha e o castelo trazem a atmosfera dos reis, cavaleiros e donzelas. 

 

Monsaraz é umas das povoações históricas mais antigas de Portugal o que transformou este lugar em Vila Museu do Alentejo e pede uma paragem obrigatória para quem vem visitar a região. Situada no topo da colina e com uma vista encantadora sob o grande lago de Alqueva, foi outrora muito cobiçada pelos povos que a disputaram, sendo conquistada aos muçulmanos em 1167 por Geraldo Sem Pavor, numa incursão militar a partir de Évora. 

Foi sede do concelho até ao século XIX, altura em que a sede passa a ser Reguengos de Monsaraz. Enquanto todo o concelho de Reguengos de Monsaraz se foi desenvolvendo, Monsaraz não deu lugar à passagem do tempo e congelou a sua beleza ancestral e, ao mesmo tempo, intemporal

 

E há muito para ver e descobrir em Monsaraz, como as suas ruas ancestrais de casas pitorescas; o cerco muralhado erguido durante as Guerras de Restauração com quatro grandes portas para entrar na vila; o castelo construído por D. Dinis, no século XIV, que está classificado como Monumento Nacional e no cimo do qual existe o miradouro com a melhor das vistas sobre o grande espelho-de-água da Barragem de Alqueva. No Largo D. Nuno Álvares Pereira é possível visitar a deslumbrante Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa e o Pelourinho oitocentista, em mármore branco de Estremoz.

 

A Capela de São José, a Casa da Inquisição, a Casa do Juiz de Fora, a restaurada Igreja de Santiago e a antiga Cisterna, que dizem ter sido uma mesquita originalmente e a Capela de São João Batista, são ainda outros dos locais que se podem visitar ao percorrer as ruas de xisto, bem como as Ermidas de São Bento, São Lázaro, Santa Catarina e São Sebastião, sem perder a loja de artesanato alentejano onde se ver as típicas mantas. Vale muito a pena ficar na vila até ao pôr-do-sol que oferece os tons quentes do sol alentejano com vistas privilegiadas de um dos pontos mais altos da região sobre a planície e a água de Alqueva, um «casamento» raro e belo que acontece nestas terras. 

 

Quem tiver vontade de ficar até ao anoitecer para ver o famoso céu estrelado da região, pode ainda jantar na vila, provar os pratos típicos desta região, como as migas ou o borrego, e os seus belos vinhos

São Pedro do Corval era conhecido como Aldeia do Mato, no princípio do século XVII. Era a principal povoação do atual concelho de Reguengos de Monsaraz, muito conhecido pelos seus solos rico em argila.

 

Situada a poucos quilómetros de Monsaraz, esta localidade é conhecida por ser a terra da olaria. Aqui encontra-se a maior concentração de artesãos do barro de todo o País, possuindo actualmente cerca de 35 olarias.

 

Olaria, vinho e agricultura são as fontes de ocupação dos habitantes de São Pedro do Corval e arredores e a atração dos turistas que vêm visitar o local.

Um passeio por São Pedro do Corval permite apreciar a arte dos artesãos locais, na pacatez alentejana, com uma arquitectura rural simples e agradável, passear no bonito Jardim D. Maria da Graça Villaret Ratinho, visitar as bonitas Igrejas Matriz e a Ermida de São Pedro, ou apreciar os vários e curiosos monumentos megalíticos presentes na zona, ou simplesmente degustar a boa mesa alentejana.

 

+ info sobre Olaria de São Pedro do Corval aqui.

O concelho de Reguengos de Monsaraz é muito rico em testemunhos da presença milenar do homem por esta região. Há muito para visitar das antas aos cromeleques e aos menires, existem 150 achados arqueológicos deixados pelos nossos antepassados pré-históricos, que aqui habitaram há mais de 6000 anos.

 

+ info aqui

 

A visitar
Antas 1 e 2 do Olival da Pega
Cromeleque do Xerez
Cromeleque dos Perdigões
Menir da Belhoa
Menir das Vidigueiras
Menir de Santa Margarida

Partilhar
  • 2
  •  
  •  
  •  
  •  
©2021 Copyright, todos os direitos reservados por PédeXumbo
Scroll to top