• Português
  • English
Não És Tu Sou Eu

Não És Tu Sou Eu

Sex 19
Horário: 23:30 - 01:00 | Local: Palco Quintal
Baile - Baile com NÃO ÉS TU SOU EU (PT)

Sinopse:

Concerto-Baile
NÃO ÉS TU SOU EU - Novo Baile Português

Trio dedicado à re-interpretação da música tradicional portuguesa em contexto de baile. O repertório apresentado resulta de uma pesquisa a-profundada sobre uma vasta colecção de cancioneiros com recolhas de música tradicional.

Em colaboração com a Associação PédeXumbo (Évora), propomos um Novo Baile Português, valorizando e dando a conhecer os estilos coreográficos associados ao nosso repertório, envolvendo a comunidade local.

Damos preferência à apresentação do concerto em formato baile, com um quarto elemento, formador e dinamizador.

Biografia:

NÃO ÉS TU SOU EU | BIOGRAFIAS

Inês Lopes, concertina

Inês (1989) designer, arquitecta (Faculdade de Arquitectura - Universidade Técnica de Lisboa 2007-2013) e músico autodidata desde os 7 anos. Desde muito cedo que procura o seu lugar na música através da voz, da flauta, do piano, da guitarra, das percussões e até através do desenho, mas é em 2015 que decide estudar concertina com Eva Parmenter e mais recentemente com Aurélien Claranbaux. Nos últimos anos tem participado em projectos como ‘Ethno Portugal’ e workshops de ensemble musical que a têm aproximado do universo da música tradicional e do neo-folk que em conjunto com a sua família de instrumentos têm originado trabalhos de interpretação e composição de música para baile. É parte integrante de vários projectos musicais tais como: Coro Viva Voz (Maestrina Rita Seco) e Coro de Câmara Colliponensis (Maestro Rui Carreira), co-fundadora de projectos como ArquitecTuna, Inguz (estórias, massagens e música para Crianças), Duovidozo (com Ricardo Esteves) e Dahú (com Pedro Prata). Nos últimos anos teve o privilégio de ser convidada a tocar um pouco por todo o país, Açores, Espanha, Suíça e Bélgica. Em Novembro de 2019 estreou Não És Tu Sou Eu, um novo duo de concertinas com João Godinho dedicado à reinterpretação de música tradicional portuguesa para contexto de baile, ao qual se juntou em 2021 o percussionista Pedro Calado. Em Dezembro de 2019 lançou, juntamente com Dahú, o seu primeiro albúm de originais ‘Shoes off’.


João Godinho, concertina

Nasceu em Lisboa em 1976, começou a estudar música aos 6 anos, tendo escolhido o piano como instrumento. Durante a sua juventude foi surgindo o gosto pela composição e pela improvisação, essencialmente como autodidacta. Concluíu o curso de Composição na Escola Superior de Música de Lisboa em 2005. Como compositor tem-se dedicado sobretudo à escrita para piano e para música de câmara, tendo parte deste trabalho estado associado a espectáculos de dança contemporânea, dos quais se destaca Nocturno, um espectáculo de Joana Gama e Victor Hugo Pontes dirigido ao público infantil, com música publicada em disco e partitura e que, desde a estreia em 2017, conta já com mais de 75 apresentações. Em Julho de 2019 estreou, na Konzerthaus de Berlim e no Centro Cultural de Belém em Lisboa, a peça Alcance, para 5 solistas e orquestra sinfónica (Jovem Orquestra Portuguesa, sob a direcção
de Pedro Carneiro), uma encomenda da OCPsolidária em parceria com a CERCI-Oeiras, tendo neste contexto sido distinguido com o Prémio Compositor Europeu 2019. Além da música erudita, a sua actividade como compositor abrange também o fado, o jazz, a música tradicional e outros universos. Começou a estudar concertina em 2015 com Eva Parmenter e em 2019 estreou com Inês Lopes um duo de concertinas dedicado à reinterpretação de música tradicional portuguesa para contexto de baile, ao qual se juntou em 2021 o percussionista Pedro Calado. Em parceria com Alexandra Ávila, é fundador e director artístico da Lisbon Jazz Summer School, da Big Band Júnior e da Associação Orelha Viva. Entre 2007 e 2010 trabalhou no Centro Cultural de Belém enquanto assessor de imprensa e como programador na área da música. Colabora esporadicamente com a Antena 2, tendo sido autor dos programas Que música é esta (2003), Fora de Formato (2019) e Pausa para Dançar (2020/21).


Pedro Calado, percussão

Pedro Calado, Lisboa 1977. Músico percussionista há 20 anos, com formação em antropologia, especializado em música étnica, nomeadamente na diáspora portuguesa. Integrou os grupos “Gaiteiros de Lisboa” e “O Baú” tendo também tocado com nomes tão diferentes como são os de José Mário Branco, Ana Moura, António Zambujo, Amélia Muge, Velha Gaiteira ou o Ó que som tem? Professor e formador já dirigiu projectos dedicados à percussão em Portugal, Espanha, Alemanha e Inglaterra. Trabalha actualmente com o LARGO Residência na implementação e desenvolvimento do projecto GLUM (Grupo de limpeza urbana musical). É também produtor executivo nas várias artes do espetáculo. Começando na musica já fez de tudo um pouco, teatro, dança, cinema e televisão.
©2019 Copyright, all rights by PédeXumbo
Scroll to top