Programação
Tarde em Nisa
Na Visita a Nisa teremos a oportunidade de conhecer os seguintes locais:

- VALQUÍRIA ENXOVAL , de Joana Vasconcelos – Exposição Permanente
Mais informação em: http://www.cm-nisa.pt/valquiria.html
- Núcleo do Bordado
- Museu do Bordado e do Barro
Mais informações em: http://museubordadoebarro.cm-nisa.pt/
- Centro Histórico de Nisa
Foto: http://olhares.sapo.pt/centro-historico-de-nisa-i-foto3113687.html
- Visita a olaria e oficina de alinhavados
Mais informação: http://www.cm-nisa.pt/turismo_ondecomprar.htm

A participação nesta actividade pressupõe inscrição prévia, que deve ser feita diariamente, na Barraquinha de Informações do Festival, entre as 08h00 e as 21h00. O ponto de encontro do grupo para a visita é junto à Cascata do Jardim (em frente ao Espaço Coreto).
Aconselhamos a levar calçado confortável, chapéu e garrafa de água.

Horário

Terça \ Tuesday
Horário: 14:00 até 17:00
Espaço: Passeios
Actividade: Tarde em Nisa
Biografia
Atendendo às últimas investigações sobre a fundação da Vila de Nisa da responsabilidade do Prof. Carlos Cebola, podemos avançar com factos novos que vieram trazer uma nova versão da mesma o que muito enriqueceu o nosso conhecimento sobre a história de Nisa. Neste sentido os factos apresentados são fruto dessa investigação.

Em 1199 D. Sancho I doa a Herdade da Açafa à Ordem do Templo, este território era delimitado, de modo muito sumário a norte pelo Rio Tejo e a sul detinha parte do território dos actuais concelhos de Nisa, Castelo de Vide e parte do território espanhol junto á actual fronteira. Estas doações tinham como objectivo fixar moradores em zonas ermas e despovoadas e consequentemente defender o território.
Os Templários edificaram uma fortaleza que os defendesse dos infiéis e sinalizava a posse desses territórios. Ao mesmo tempo o monarca anuncia a vinda de colonos franceses, que chegaram de forma faseada, sendo o último grupo destinado ao povoamento do território da Açafa.
Instalaram-se junto das fortalezas construídas pelos monges guerreiros e aí ergueram habitações, fundaram aglomerados populacionais a que deram o nome das suas terras de origem. É neste sentido que surge possivelmente o de Nisa, ou seja sendo os primeiros habitantes oriundos de Nice, ergueram aqui a sua “ Nova Nice” ou melhor dizendo, a Nisa a Nova, que encontramos nos documentos, e quando surge o termo Nisa a Velha, este refere-se á sua antiga terra de origem, a Nice francesa.
Assim terão nascido Arêz (de Arles), Montalvão (de Montauban), Tolosa (de Toulouse), cidades do Sul de França.
O primeiro Foral foi dado à Vila de Nisa entre 1229 e 1232, pelo Mestre Dom Frei Estêvão de Belmonte.

Em 1512 D. Manuel I atribuiu novo Foral á Vila, aparecendo a palavra Nisa escrita com dois “ss “, ou seja Nissa, provavelmente sob a influência da palavra Nice.

Em 1343, D Afonso IV estava em guerra aberta com o seu genro, Afonso XI de Castela, o que colocava em risco toda esta zona fronteiriça, daí o Mestre da Ordem ter solicitado ao Rei a construção de uma muralha para protecção da população, pedido este que foi aceite.

D João I atribui o título de “ Notável” à Vila de Nisa e D. João IV por carta régia de 13 de Outubro eleva Nisa à Categoria de Marquesado, de que fez mercê a D. Vasco Luís de Gama, 5º Conde da Vidigueira.

Ao Concelho de Nisa foram anexados os de Arêz e Montalvão por decreto de 6 de Novembro de 1836 e os de Alpalhão e Tolosa no decreto de 3 de Agosto de 1853, tendo sido desanexadas em 1895 e novamente anexadas em 1898.

A freguesia de Amieira do Tejo passou para o concelho do Gavião em 1836, mas transitou para Nisa através de decreto de 26 de Setembro de 1895.

Organização:
A PédeXumbo é uma Estrutura Financiada por:
Em colaboração com:
Parceiros Locais:
Parceiros de Programação:
Parceiros de Mobilidade Sustentável:
Parceiros de Comunicação:
Rádio Oficial:
Parceiros: