O local
Localização
Castelo de Vide
Este ano o Andanças vai abraçar a bonita e histórica vila  de Castelo de Vide que  se localiza na vertente Norte da serra de S. Mamede, entre 540 e 600m de altitude.


Castelo de Vide desenvolveu-se a partir do século XIII, tendo como origem a cumeada onde se encontra o castelo e a encosta sul adjacente, denominada atualmente por "Canto da Aldeia". Expandiu-se para sudeste, ao longo da cumeada. Em meados do séc. XVI, toda essa cumeada estava já ocupada, incluindo a vertente Norte, onde se instalou a Judiaria, em zona desfavorecida quanto à exposição solar. No séc. XVI, Castelo de Vide observava um enorme desenvolvimento, devido ao incremento da produção agrícola, ao desenvolvimento da tecelagem e ao comércio com Espanha. Foram construídas várias igrejas e capelas, assim como notáveis casas senhoriais. Com a construção das muralhas setecentistas, o sentido da expansão urbana foi condicionado. A partir do séc. XIX a ocupação urbana foi sendo cada vez mais pontual, contudo foram abertas novas vias de comunicação com a envolvente, sacrificando parte da cintura muralhada a nascente. Desde os finais do séc. XX ocorre outro período de expansão com a construção de novos bairros habitacionais, extra-muros e desligados do restante aglomerado. 

Castelo de Vide apresenta-se como um conjunto urbanístico único e muito característico, possuindo valores arquitetónicos, históricos e culturais ímpares que vale a pena conhecer, destacando-se a Arquitetura Militar e Religiosa. É o caso do Castelo (séc. XIII a XVI) e respetivo Burgo Medieval, assim como a restante muralha abaluartada setecentista e o Forte de S. Roque (séc. XVII a XVIII). São invulgarmente numerosos os edifícios de carácter religioso. Excetuando a Sinagoga (anterior a séc. XIV), todas as restantes igrejas e capelas são católicas. De realçar a Igreja Matriz de Santa Maria da Devesa (séc. XVIII a XIX), a Igreja de Nª Sra. da Alegria (séc. XVII) e a Ermida de Nossa Senhora da Penha (séc. XVI). Existe um antigo bairro judeu de ruas íngremes e floridas em torno da Sinagoga, recentemente transformada em Museu, onde melhor se pode perceber a herança judaica que nos chegou aos dias de hoje.

É de destacar que Castelo de Vide possui a segunda maior coleção de portas ogivais (séc. XIV a XVI) do mundo localizadas na encosta do castelo.
Ainda de carácter cultural realça-se o Centro de Interpretação de Megalitismo, o Museu-Oficina de Ferreiro Tradicional do Mestre Carolino, o Museu Agrícola de Póvoa e Meadas e a Biblioteca Municipal onde se pode obter informações sobre atividades culturais desenvolvidas, para além de se poder consultar numerosas publicações de interesse.
Outra vertente que importa referir é o património intangível do qual se realçam as épocas festivas como o Carnaval Trapalhão, a Páscoa e a Semana Santa, os Santos Populares, diversas feiras e romarias; e outros aspetos etnográficos como trajes, danças, cantares, usos e costumes. 

A "Sintra do Alentejo", como lhe chamou D. Pedro V, oferece variadíssimos percursos e roteiros temáticos para desfrutar de paisagens diversificadas, a pé, de bicicleta ou de carro. Os contrastes de relevo proporcionam panorâmicas notáveis, transformadas ciclicamente nas diferentes estações do ano.
Castelo de Vide possui um conjunto de infraestruturas adequadas à prática do desporto. Sugerem-se as piscinas (coberta e descoberta), os circuitos de manutenção, os cortes de ténis, o pavilhão polidesportivo, o campo relvado.

O folclore constitui uma atividade cultural de grande importância, encontrando-se em atividade dois Ranchos, cujos reportórios tentam de algum modo preservar e dar a conhecer as tradições e usos populares da região. O artesanato é um importante recurso turístico e de subsistência da população. Destacam-se os trabalhos em madeira, cortiça, barro e ferro forjado, os bordados e a trapologia. 
Apreciar a gastronomia regional é imperativo, os pratos típicos são: o sarapatel, o cachafrito, a açorda, a sopa de batata com pimentos, a alhada de cação, os molhinhos de tomatada, as migas entre outros… na doçaria regional deguste a boleima, o bolo da massa, o bolo finto, as queijadas.
Para pernoitar, Castelo de Vide tem ao dispor numerosos e diversificados alojamentos. 
Organização:
A PédeXumbo é uma estrutura apoiada por:
Em colaboração com: